carta ao cliente

No primeiro contato por telefone ou pessoalmente aqui no escritório fazemos algumas perguntas iniciais ao interessado para identificar qual é a natureza do conflito e contra qual empresa ou órgão público será a ação judicial. Agendamos o atendimento com um dos advogados para o trabalhador apresentar em maiores detalhes o histórico de sua prestação de serviço.

Após essa conversa, o trabalhador decide se quer contratar os serviços de nosso escritório. Em caso positivo, o cliente assinará um contrato de honorários com o escritório bem como uma procuração para nossos advogados representá-lo perante todas as esferas da Justiça.

Atenção ao prazo para entrar com a ação trabalhista: 2 anos.

Todo trabalhador de empresas públicas, privadas ou de outras instituições têm o prazo de dois anos, contados a partir do término da relação de emprego, para ingressar com a ação trabalhista de qualquer espécie.

Por exemplo: um trabalhador que é demitido de uma empresa no dia 10 de junho de 2016 terá como prazo limite para ingressar com a ação o dia 09 de junho de 2018.

Atenção ao período trabalhado que poderá ser objeto de reclamação: últimos 5 anos antes do ingresso da ação na Justiça do Trabalho.

Sempre que o trabalhador sair do emprego ele deve se informar rapidamente sobre seus direitos. Caso o empregado tenha ainda valores a serem recebidos deve ficar atento, pois quanto mais tempo demorar a ingressar com a ação, menor será o valor a receber. O trabalhador pode reclamar os últimos 5 anos, que são contados a partir do ingresso da ação.

Por exemplo: um empregado começou a trabalhar no dia 15 de junho de 2010 e saiu da empresa no dia 15 de junho de 2016. Portanto, trabalhou 6 anos. Nesse caso, o trabalhador poderá reclamar apenas os últimos 5 anos. O primeiro ano de trabalho não poderá ser objeto de discussão, pois ele ultrapassa o período previsto na legislação.

Caso este mesmo trabalhador demore 1 ano para ajuizar a ação após sua saída do emprego, ele perderá um ano de trabalho para calcular seus direitos. Entenda: a data de saída foi 15 de junho de 2016, mas a ação foi protocolada na justiça apenas em 15 de junho de 2017. Contam-se 5 anos para trás a partir de 15 de junho de 2017. Portanto, o dia 15 de junho de 2012 será a data de início para calcular os direitos. Assim, o trabalhador terá contabilizado apenas 4 anos de trabalho: 15 de junho de 2012 até 15 de junho de 2016.